• 3M Decorações

DESAPARECIDO

Família procura rapaz de Nobres que fugiu de casa de recuperação para dependentes químicos em Cuiabá

Publicados

em

Foto: Arquivo pessoal

Morador de Nobres (MT),Vanilton da Costa Conceição, 31 anos, está desaparecido desde o dia  27 de Maio. Segundo a irmã, ele estava internado em uma casa de recuperação para dependentes químicos em Cuiabá.

Em entrevista ao MT Diário  a irmã do rapaz, Taciana da Costa Conceição, moradora de Sapezal, entrou em contato com a redação do site e relatou que seu irmão Vanilton , solteiro, morador de Nobres, dependente de alcoolismo, deu entrada dia 25 de Maio na “Clínica” Associação Terapêutica e Comunidade- Tenda de Abraão, (Apoio e Recuperação a Dependência Química),  que fica situada na região de Cuiabá. Vanilton  da Costa  foi apresentado e levado a casa de recuperação por um pastor de Nobres.

Ainda de acordo com as informações da irmã, seu irmão havia passado mal no dia seguinte, 26 de maio e foi levado a UPA para atendimento médico, a tarde ele retornou a “clínica” e na madrugada do dia 26 para 27 ele fugiu.

Ela conta que desde então eles estão à procura dele e tiveram a informação de que ele estaria no bairro CPA III em Cuiabá, após informações a mãe com quem ele mora em Nobres esteve no bairro procurando pelo filho, mais sem sucesso de encontra-lo.

Taciana relata que não sabe o que realmente aconteceu lá, e diz que o irmão nunca ficou tanto tempo fora de casa sem dar informação do seu paradeiro.

Após as informações repassadas por Taciana Costa, a redação do site MT Diário entrou em contato com a casa de Recuperação para Dependentes Químicos, Tenda de Abrão, e conversamos com o coordenador e administrador do local.

Em entrevista ao MT Diário, Sandro Barbosa de Souza administrador da casa de recuperação para dependentes químicos, onde Vanilton estava  a apenas um (1) dia, nos relatou que ele chegou  ao local com o pastor de Nobres para ser acolhido no fim de tarde do dia 25 de maio, e no dia seguinte dia 26 ele passal mal, supostamente devido a abstinência do álcool e começou a ter convulsões, sendo levado imediatamente para UPA, segundo ele o rapaz  foi medicado e na tarde do mesmo dia foi liberado e retornou a casa. Ele contou que eles se recolhem para dormir as 22 horas, portanto Vanilton  deve ter saído da casa entre as 22h até as 5h da manhã do dia 27 de maio, não se sabe  ao certo do horário, ele saiu sem dizer nada a ninguém, relatou.

Segundo o coordenador este local não seria uma “CLÍNICA” para internação e sim uma Associação Terapêutica de acolhimento, como citamos acima, acolhimento a pessoas que querem e necessitam de ajuda para se recuperarem de um vício. O projeto tem como MISSÃO (Acolher, cuidar, recuperar resgatar a saúde, a dignidade, a cidadania e a reintegração a família e a sociedade), esta é a missão do projeto da Tenda de Abraão, explicou. Disse também que eles acolhem as pessoas que querem ser tratadas e que não obrigam ninguém a ficar a força que tem que ser por livre e espontânea vontade da pessoa.

Segundo Taciana a princípio o irmão queria o tratamento, não sei o que aconteceu lá. Diz ela.

Sandro informou que o local fica situado na zona rural região de Cuiabá e que o espaço é aberto, não tem  muros ou grades. Perguntamos a ele se Vanilton tinha falado algo sobre não querer ficar lá, ou querer ir embora, Sandro disse que não, nenhum momento ele citou querer ir embora, disse.

Ultranacional a Amarelinha

Desde então a família registrou um boletim de ocorrência, e encontram se desesperados a procura do rapaz que até o momento não tiveram notícias do seu paradeiro.

T R A T A M E N T O  T E N D A  D E  A B R A Ã O (site: cttendadeabraao.com.br)

 

Leia Também:  Mecânico é surpreendido pelos amigos com reforma de jipe parado há 7 anos após sair do hospital: 'Nem acreditei'

O acolhimento é feito de forma voluntária na Comunidade Terapêutica Tenda de Abraão é realizado a entrevista pelo monitor que apresenta ao mesmo as normas internas de tratamento do acolhido, que recebe o quite de higienização pessoal. Sempre buscamos a melhor maneira possível àqueles que necessitam de uma nova chance, um novo começo.

O tratamento de álcool e drogas na comunidade Terapêutica Tenda de Abraão tem duração de aproximadamente nove meses, é composto por três fases e tem como principal objetivo conscientizar, disciplinar e reabilitar os acolhidos de forma que estes recuperem sua autoestima, por meio do tratamento com princípios espirituais para voltem a se inserir na sociedade.

Quem chega a Instituição é recebido por uma incrível equipe, cheia de força de vontade e com grande experiência para acolher da melhor maneira possível àqueles que necessitam de uma nova chance, um novo começo.

DESAPARECIDO

Quem reconhecer e ver este rapaz Vanilton, que tem mais ou menos 1,60 de altura, 31 anos, por favor entrem em contato no telefones: (65) 3901-4823/4825 Whatzapp 65-999827766 

Contato de Taciana irmã de Vanilton: (65) 99926-6130

OBS: Vestimentas não informada.

A família busca e espera por notícias.

Fonte: MT Diário

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

CIDADES

PONTES E LACERDA: Tribunal condena JBS por acidente que deixou motorista boiadeiro cego de um olho

Publicados

em

Reprodução/Foto: TRT23

O Tribunal Regional do Trabalho de Mato Grosso (TRT) manteve a condenação da JBS por acidente de trabalho que deixou um motorista boiadeiro cego de um olho. A empresa deverá pagar R$ 40 mil de danos morais e estéticos ao trabalhador, além de arcar com custos médicos e de pensão mensal à vítima.

O acidente ocorreu em 2017, no município de Pontes e Lacerda. O trabalhador teve um dos olhos ferido pelo cano de uma vara de choque utilizada para conduzir bois para dentro da carroceria do caminhão, após um dos animais dar um coice na ferramenta. Como acabou perdendo a visão do olho atingido, não pode mais exercer a atividade profissional de motorista.

A empresa foi condenada em primeira instância e recorreu ao TRT. O caso foi julgado pela 2ª Turma do Tribunal. Entre outros pontos, a JBS sustentou que o acidente se deu por culpa exclusiva do próprio motorista, que agiu com negligência e imprudência na hora de usar o cano de choque. Mas esse argumento acabou não sendo provado.

Além disso, a 2ª Turma do TRT reconheceu que a atividade desempenhada pelo trabalhador era de risco. Nessas situações, a empresa tem o dever de indenizar o ex-empregado mesmo que não tenha culpa pelo acidente.

Conforme destacou a relatora do processo no Tribunal, desembargadora Beatriz Theodoro, além de motorista, o trabalhador atuava também como boiadeiro, fazendo o acondicionamento de carga viva (bovinos) nas gaiolas do caminhão, nos carregamentos e descarregamentos. “Neste contexto, sem dúvidas o empregado estava sujeito a risco superior àquele a que se submete a coletividade de empregados, na medida em que lidava com animais cuja reação é imprevisível”.

Junior Confecções

O dever da JBS de indenizar foi decidido com base no artigo 936 do Código Civil. O texto da lei estabelece que o dono de animal responde pelos danos em incidentes, se não ficar provada a culpa da vítima ou motivo força maior. “É que nestas hipóteses, ainda que o animal esteja sendo manipulado por empregado experiente, cabe ao seu dono (o empregador) responder por sua reação instintiva e inesperada, inerentes a sua condição irracional, que cause prejuízos a outrem”, explicou a relatora.

Além do dever de indenizar o trabalhador pela perda da visão de um dos olhos, a empresa também foi condenada a compensar os danos morais após o motorista entrar em depressão. Isso porque a relação entre a doença e o acidente ficou provada em perícia feita por médico ouvido pela justiça.

Inicialmente, a JBS deveria pagar R$ 100 mil a título de danos morais e R$ 20 mil de danos estéticos. Mas os valores foram reduzidos pelo TRT para R$ 30 mil e R$ 10 mil reais, respectivamente. A modificação seguiu decisões semelhantes proferidas anteriormente pelo Tribunal e também levando em consideração a atitude da empresa, que prestou socorro imediato e amparou financeiramente o trabalhador.

A JBS ainda irá arcar com o pagamento de indenização pelos danos materiais, entre eles, gastos médicos com medicamentos e tratamento para o olho lesionado e pensão mensal, que deverá ser paga ao trabalhador até quando completar 76 anos. Como a incapacidade para a função que o motorista exercia foi total, o valor da pensão será equivalente à remuneração que recebia à época do acidente.

Fonte: Olhar Direto

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Indicações para área de Educação e Infraestrutura foram apresentadas pelo deputado Paulo Araújo
Continue lendo

CIDADES

MATO GROSSO

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA